24 de dez de 2010

DENTRO DO SACO DO PAPAI NOEL TINHA UMA COBRA CORAL. Tava todo mundo "abismado" pois o papai Noel era um Indio..Foi um "pisêro" de crianças como Átila, Laudonatel, Iatan, Izael, Sildicleidson, Eufêmero e Irnael. Cantei "É preciso amar as pessoas como se não houvesse amanhã" e hoje vou cantar um gregoriano português de Reis, no auto de Natal da igreja de São Sebastião. Aliás ficar hospedado em uma igreja proporciona momentos um tanto sobrenaturais: Ha dois dias apareceu no varal um papagaio, segundo o padre, fugido do terreiro vizinho. Ele está se tornando meu amigo..Eu o alimento com manga, e mesmo ele voando perfeitamente, parece desejar a minha companhia..Isso tem me feito tão feliz por aqui..Depois da missa iremos para uma ceia em um terreiro, natal bem brasilêro.
Eric D'Ávila

3 comentários:

Clenes Guerreiro disse...

Eita, delícia!

estava vendo o trabalho de vocês, expresso nas palavras sinceras de cada um e fiquei pensando que sempre sonhei que isso acontecesse: viesse um grupo, com olhares diferenciados, ligado às artes e descobrissem a Xapuri que está escondida, perpassando nuances e delimitando espaços nem sempre explícitos...
Que bom que escolheram Xapuri para o Circulação Literária... Muita luz e Sucesso!!!

Clenes Guerreiro disse...

Ih,

já ia esquecendo: o Grupo Fuxico de Contadores de Histórias de Xapuri, além do Arte na Ruína agradecem a troca de experiências e a presença iluminada de todos.
Xerus.

Breve histórico disse...

Poxa querido, vc não imagina pra nós a satisfação de cruzar com fazedores de arte de Xapuri..Muita sorte ai pra vc.
Xeruuu