25 de jan de 2011

Febre

Há um flamboyant em Natal, cidade quase em Portugal. O núcleo da flor atravessou a minha miragem como uma flecha vermelha. Naufraguei em febre e o vento quente me assoprou para o alto da torre. De lá tive a visão nítida de um cavalo morto sobre uma areia muito branca, com metade de seu corpo submerso em uma poça de água muito clara, refletida pelo céu. Meteoros se desprenderam de outros mundos distantes daquele, e ao cruzar o invólucro da terra, se transformaram em chuva doce antes mesmo de tocar naquele espelho da morte em que se encontrava o cavalo. Os pingos desceram com a velocidade das pedras e se transformaram em vagalumes para que não se chocassem com a superfície lacustre. Os vagalumes voaram em meia redoma, animando anima naquele animal que re-linchou, vívido e absoluto.
Eric DÁvila

Um comentário:

Ricardo disse...

flamboyants; significado de prosperidade, realeza...no alge do frio e calor ela se doa naquele espetáculo de beleza e de cores diversas que enchem os olhos e deixa a alma feliz...