3 de fev de 2011

Sivirina

Já amanhece com a vassoura na mão. Quinze filhos, três barrigas de dois. Com duas baixas na iáscara, mora perto da baixa da égua. Se ri do seu nome que parece nome de passarinho, mas aprendeu a amar seu nome porque: " Se mamãe gostou, eu gosto". Noivou três vezes e o último noivo é quem a acompanha, taciturno, pela vida. Ela esquece o nome dos filhos, esquece de botar fogo no cuscuz e ri. Ri gostoso até entortar o corpinho.
Eric D'Ávila

Nenhum comentário: