2 de fev de 2011

antes da Aldeia Umutina

Em outros portos tratados como brancos ou também não-índios. Para se aproximar, mil couraças quebrar. Tenso. Longe das aldeias, sem permissão dos caciques, era difícil estabelecer relações.
Sem sorrisos, sem boas-vindas. Até o dia da apresentação.Depois de Tilápia e dos marujos nada mais foi assim. No almoço, dia seguinte, assim que sentei, um deles cantou a música do espetáculo, que já havia aprendido. Dali pra frente eram muitos sorrisos e risadas, relembrando os momentos da peça.
É incrível como a arte pode conquistar e modificar estruturas já prontas.


Convite para aldeia UMUTINA. Vamos!!!!

Natalia siufi, da lan house de Serra do Mel, 18h08.

2 comentários:

Carmen disse...

Que lindo Nati!

eder apodonepá disse...

foi muito bom mesmo